sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Casca de banana pode despoluir água

http://2.bp.blogspot.com/_XWiRu2y6rRA/SEC64ixhtlI/AAAAAAAAAbk/M0Ruv2K7NDs/s400/casca-de-banana.jpg
São Paulo, sexta-feira, 31 de dezembro de 2010


GIULIANA MIRANDA
DE SÃO PAULO

Esnobada por indústrias, restaurantes e até donas de casa, a casca de banana pode em breve dar a volta por cima. Descobriu-se que, a partir de um pó feito com ela, é possível descontaminar a água com metais pesados de um jeito eficaz e barato.
O projeto é de Milena Boniolo, doutoranda em química pela Ufscar (Universidade Federal de São Carlos, no interior paulista), que teve a ideia ao assistir a uma reportagem sobre o desperdício de banana no Brasil.
"Só na Grande São Paulo, quase quatro toneladas de cascas de banana são desperdiçadas por semana. E isso é apenas nos restaurantes", diz a pesquisadora.
Boniolo já trabalhava com estratégias de despoluição da água, mas eram métodos caros -como as nanopartículas magnéticas-, o que inviabilizava o uso em pequenas indústrias.
Com as cascas de banana, não há esse problema. Como o produto tem pouquíssimo interesse comercial, já existem empresas dispostas a simplesmente doá-las.

MASSA CRÍTICA
"Como o volume de sobras de banana é muito grande, as empresas têm gastos para descartar adequadamente esse material. Isso é um incentivo para que elas participem das pesquisas", afirma.
O método de despoluição se aproveita de um dos princípios básicos da química: os opostos se atraem.
Na casca da banana, há grande quantidade de moléculas carregadas negativamente. Elas conseguem atrair os metais pesados, positivamente carregados.
Para que isso aconteça, no entanto, é preciso potencializar essas propriedades na banana. Isso é feito de forma bastante simples e quase sem gastos de energia.
"Eu comecei fazendo em casa. É realmente muito fácil", diz Boniolo.
As cascas de banana são colocadas em assadeiras e ficam secando ao sol durante quase uma semana. Esse material é então triturado e, depois, passa por uma peneira especial. Isso garante que as partículas sejam uniformes.
O resultado é um pó finíssimo, que é adicionado à água contaminada. Para cada 100 ml a serem despoluídos, usa-se cerca de 5 mg do pó de banana.
Em laboratório, o índice de descontaminação foi de no mínimo 65% a cada vez que a água passava pelo processo. Ou seja: se for colocado em prática repetidas vezes, é possível chegar a níveis altos de "limpeza".
O projeto, que foi apresentado na dissertação de mestrado da pesquisadora no Ipen (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares), foi pensado com urânio.
Mas, segundo Boniolo, é eficaz também com outros metais, como cádmio, chumbo e níquel -muito usados na indústria. Além de convites para apresentar a ideia no Brasil e na Inglaterra, a química também ganhou o Prêmio Jovem Cientista.
Agora, segundo ela, é preciso encontrar parceiros para viabilizar o uso da técnica em escala industrial.

Lula confirma concessão de asilo a Battisti

Viva! Bravo, Lula!

Correio do Brasil, 31/12/2010

Battisti está definitivamente livre para viver no Brasil como asilado político


Por Redação - de Brasília
Amorim na ONU
Coube ao chanceler Celso Amorim fazer o anúncio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou, nesta sexta-feira, a concessão do asilo político ao ex-ativista italiano Cesare Battisti. O anúncio partiu do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. A decisão foi baseada em parecer da Advocacia-Geral da União (AGU), feito com base nos termos da Constituição brasileira, nas convenções internacionais sobre direitos humanos e do tratado de extradição entre o Brasil e a Itália.
Agora, caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) expedir alvará de soltura do ex-ativista. É um ato formal de execução da decisão do presidente da República.  Desde março de 2007, Battisti está preso preventivamente no Presídio da Papuda, em Brasília. O caso gerou polêmicas no Brasil e na Itália. Para especialistas, o processo de extradição envolvendo o ex-ativista está repleto de vícios jurídicos.
Ex-dirigente dos Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), grupo extremista que atuou na Itália nas décadas 60 e 70, Cesare Battisti, de 52 anos, é acusado de participação em uma série de crimes.  O ex-ativista foi condenado à prisão perpétua à revelia na Itália por quatro homicídios cometidos pelo PAC entre 1977 e 1979. Ele nega as acusações. Jamais cumpriu pena no país, deixando a Itália rumo à França e depois ao Brasil.

.....

Caso Cesare Battisti: carta de intelectuais apóia governo 

Carta de Intelectuais: apoio caso Cesare Batisti (Itália x Brasil)

Um grupo formado por professores e intelectuais brasileiros divulgou manifesto em defesa da posição tomada pelo governo brasileiro em conceder refúgio a Cesare Battisti, ex-militante do movimento italiano dos anos 1970. Os signatários estão colhendo novas assinaturas de apoio ao documento via internet.
Leia abaixo a íntegra do documento:
Cesare Battisti: quando o governo brasileiro é exemplo de democracia
Em decisão corajosa e coerente com seus princípios democráticos e progressistas, o governo brasileiro, por meio do Ministério da Justiça do Brasil, concedeu asilo político a Cesare Battisti, ex-militante do movimento italiano dos anos 1970. Como o próprio Ministro Tarso Genro declarou, trata-se de decisão jurídica que considera o estatuto político da perseguição da qual é objeto um ex-militante, mais de 30 anos depois dos acontecimentos pelos quais foi condenado em julgamento sumário, sem direito a plena defesa e por sentença baseada unicamente em informação obtida por "delação premiada". Naquele julgamento e sob essas condições, um acusado de crimes políticos foi condenado a pena de prisão perpétua (que, inclusive, não é admitida pela Constituição Brasileira). A decisão do governo brasileiro é ato de justiça, que reconhece e reafirma, ao mesmo tempo, jurisprudência relativa a pedidos de extradição de outros ex-militantes italianos - extradição que o STF nunca concedeu, reconhecendo a dimensão política dos atos acusatórios. A concessão de asilo político a esse ex-militante respondeu também às demandas de amplo movimento de solidariedade, que mobilizou vasta rede internacional de intelectuais, partidos políticos e movimentos sociais em todo o mundo. No Brasil, o asilo para Cesare Battisti foi pedido pelo MST, Via Campesina, por ONGs e vários segmentos da sociedade civil e por figuras políticas, dentre as muitas, o Senador E. Suplicy e o Deputado F. Gabeira. A grande mídia brasileira - sem que se entenda por quê - empenha-se em amplificar e dar voz ao ponto de vista do governo italiano. Curiosamente, diante dessa decisão do Ministro Tarso, a grande mídia brasileira tem assumido posição diametralmente oposta à que teve quando o mesmo Ministro pediu a revisão da Lei (brasileira) de anistia para a tortura praticada durante o regime militar. Paradoxalmente, para a grande mídia brasileira, a tortura da ditadura faz parte do passado e deve ser esquecida, enquanto a luta armada de esquerda deve ser objeto de uma persecução perpétua. É de estranhar-se muito essa 'adesão' monolítica da grande mídia brasileira ao ponto de vista do governo italiano, posto que a posição do governo italiano manifesta acentuado tom neocolonial e eurocentrista (para não dizer pior), que visa a desqualificar a decisão democrática do governo do Brasil, tomando-o como governo dito "periférico", a ser desqualificado por ter "ousado" tomar decisão política independente. Não se ouviu o mesmo tom por parte do governo Berlusconi quando, muito recentemente, o Presidente francês Sarkozy negou-se a extraditar Marina Petrella, ex-militante das Brigadas Vermelhas. Se outros motivos não houvesse para qualificar como democrática e progressista a decisão do governo brasileiro, basta considerar a reação do governo Berlusconi, e facilmente se perceberá a justeza e o equilíbrio democráticos da decisão do governo brasileiro. O revanchismo punitivo com relação à década revolucionária de 1970, na Itália, não é democrático e é retrocesso político. Esse mesmo movimento de retrocesso antidemocrático, na Itália, já levou um ex-fascista (Alemanno) à Prefeitura da capital (Roma) e um pós-fascista (Fini) à presidência do Congresso (Câmara dos Deputados). Ao mesmo tempo, o mesmo movimento de revanchismo punitivo tem determinado o desaparecimento da oposição parlamentar. Mais preocupante, contudo, é ver que hoje, na Itália, ressurge a política fascistizante de discriminação dos migrantes estrangeiros. Essa política já está levando à multiplicação de atos racistas. A Itália, país de emigração, de onde vieram centenas de milhares de imigrantes para o Brasil, está se transformando em pesadelo para milhões de trabalhadores estrangeiros ou italianos não brancos. A Itália foi onde se viu a mais violenta e vergonhosa repressão às manifestações populares contra o G8, em Genova. A perseguição aos militantes políticos de ontem é parte do movimento para calar as vozes democráticas de hoje. Não por acaso, o prefeito (pós)fascista de Roma, Alemanno, acaba de declarar que "o movimento estudantil italiano (seria) dirigido por 300 crimininosos da universidade La Sapienza". APOIAMOS a decisão do governo brasileiro no caso Battisti, porque apoiamos a solução política e jurídica para as questões da década de 1970 (a anistia) na Itália. APOIAMOS a decisão do governo brasileiro no caso Battisti, também, porque estamos preocupados o crescimento da xenofobia, do racismo e dos processos de criminalização da oposição política, que se constata na Itália de Berlusconi e em quase toda a Europa. O Brasil - e a maioria dos governos sul-americanos - apesar de todos seus graves problemas e violentas injustiças, pode sim estar à frente no processo de radicalização democrática, de abertura do horizonte dos possíveis, de afirmação dos princípios éticos de uma nova globalização: aquela que se constitui desde baixo, pelos movimentos sociais.

Giuseppe Cocco - Professor UFRJ
Ivana Bentes - Professora UFRJ
Rodrigo Guéron - Professor UERJ
Alexandre Mendes - Defensor Público
Alexandre Nascimento - Pré-Vestibular para Negros e Carentes
Bárbara Szaniecki - Designer
Tatiana Roque - Professora UFRJ
Caia Fittipaldi - tradutora

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O "dossiê do roubo da Copa de 1962"



São Paulo, quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O "dossiê do roubo da Copa de 1962" vai à Fifa?

Rodrigo Bueno

"O Brasil foi ajudado, todo mundo sabe. Estava 1 a 0 para a Espanha, e o Nilton Santos, dentro da área, deu no cara. O juiz apitou, veio andando do meio-campo, todo mundo viu o pênalti, e ele deu fora da área. É conversa que o juiz [o chileno Sergio Bustamante] não viu.
Além de não dar o pênalti, expulsou Helenio Herrera, um dos melhores técnicos que vi. O Brasil ganhou [2 a 1] com gols de Amarildo.
Depois, compraram um bandeirinha [Esteban Marino] por US$ 15 mil, o uruguaio que veio apitar o Paulista, foi homenageado pelo Santos e deu até volta olímpica. Garrincha, maior jogador da Copa, fez tudo que podia fazer, gênio. O Brasil ganhou de 4 a 2 do Chile, e o Esteban Marino estava na lateral. Garrincha era inocente, fez uma brincadeira, e o árbitro [o peruano Arturo Yamasaki] o expulsou. O Marino levantou a bandeira, o juiz olhou e foi nele. Marino contou que Garrincha tinha dado um pontapé.
No tribunal, não tinha outra penalidade a não ser no mínimo um jogo. Meia hora, uma hora, e onde está o bandeirinha? Não apareceu, e suspenderam o julgamento porque não tinha prova. Garrincha jogou a final.
Esse bandeirinha me contou que o sumiço do tribunal custou US$ 15 mil. Passados alguns anos, encontrei-o numa rua em São Paulo e perguntei o que fazia aqui. Disse: "Estou procurando João Etzel Filho [ex-juiz], o filho da puta recebeu os US$ 15 mil, me deu US$ 5.000 e ficou com US$ 10 mil". O único jogo que o Etzel apitou foi o 4 a 4 entre Rússia [União Soviética] e Colômbia, que só jogava beisebol. A Rússia fez 4 a 0 [4 a 1] e, no segundo tempo, ficou 4 a 4. Roubo, tudo para ajudar o Brasil."
O ex-juiz Olten Ayres de Abreu me contou isso tudo. Contou antes, no primeiro semestre, para Odir Cunha, o pesquisador que elaborou o "dossiê da unificação" que exaltou a fase de ouro do futebol brasileiro e que agradou a João Havelange, presidente da CBD em 1962.
"Minha experiência de pesquisador não me deixa nenhuma dúvida de que a versão de Olten é a definitiva para o caso. Até a quantidade de dólares empregada no suborno é informada por ele", diz Odir em seu blog.
O que será que Havelange e a CBF têm a dizer sobre esse trabalho de Odir para a revista "FourFourTwo"? E não seria o caso de levar esse "dossiê do roubo da Copa de 1962" para a Fifa? Não seria justo, após esse dossiê, cassar o título "roubado"?

Petrobras batiza campo com o nome de Lula

Merecidíssima homenagem!


São Paulo, quinta-feira, 30 de dezembro de 2010


Petrobras anuncia 8 bi de barris e batiza Tupi de Lula

CIRILO JUNIOR
PEDRO SOARES

Descoberta do pré-sal que mudou os rumos da exploração de petróleo no país, a área de Tupi teve sua viabilidade comercial declarada ontem pela Petrobras, com reservas de 6,5 bilhões de barris de petróleo e gás.
Isso significa que a produção naquele campo é viável em escala comercial. O próximo passo é o plano de produção, com a interligação dos poços às plataformas.
Juntamente com a área anexa de Iracema -mais 1,8 bilhão de barris-, a região faz parte do bloco BM-S-11, que tem, assim, reservas recuperáveis de 8,3 bilhões de barris de petróleo e gás.
O volume anunciado representa mais da metade das reservas provadas brasileiras, que somam pouco mais de 14 bilhões de barris. O BM-S-11 tem ainda o poço de Iara, cujas reservas estimadas variam de 3 bilhões a 4 bilhões de barris de petróleo e gás.
Com a declaração, o poço de Tupi passa a ser denominado campo e foi batizado de Lula. Após a declaração de comercialidade, os campos recebem nomes da fauna marinha. A área de Iracema passa a se chamar campo de Cernambi -genérico pelo qual são conhecidos moluscos marinhos.
Se todo o volume for integrado às reservas de óleo e gás da Petrobras (14,1 bilhões de barris), a estatal saltará para 22,4 bilhões de barris -um crescimento de 59%. A estatal deixará para trás China e Angola e se aproximará do Qatar, hoje na 12ª posição no ranking, que considera só as reservas de óleo, liderado pela Arábia Saudita.
A ANP (Agência Nacional do Petróleo) estima que o conjunto de campos do pré-sal licitado tenha potencial de reservas de até 80 bilhões de barris, o que levaria o país para a sexta posição.
A Petrobras informou que o volume total de reservas anunciadas ontem para os dois campos não será totalmente incorporado às reservas provadas de 2010.
Esse tipo de reserva consiste no principal indicador de uma companhia de petróleo e aponta quais reservatórios descobertos têm elevado grau de certeza e poderão ser explorados comercialmente.
Para Mônica Araújo, da corretora Ativa, as descobertas do pré-sal colocam a Petrobras num novo patamar de reservas de petróleo, mas o aumento será um processo de longo prazo. "Ainda faltam muitas avaliações, que consideram o ritmo de crescimento de produção dos campos, para definir qual é o volume de reservas provadas."
O bloco BM-S-11 foi adquirido pela Petrobras e as sócias BG e Galp no segundo leilão de blocos com potencial para exploração petrolífera, em 2000. Em julho de 2006, a estatal comunicou à ANP a primeira descoberta.
Diante do grande potencial, o governo decidiu suspender leilões de blocos no entorno e na camada pré-sal e começou a projetar mudanças nas regras do setor de petróleo, que resultaram no novo marco, sancionado semana passada por Lula.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

PSDB: Detonando com a Educação em SP

Qual o partido mais danoso da história deste país? UDN ou PSDB?
 

São tudo lixo da mesma espécie!


http://namarianews.blogspot.com/2010/12/o-saber-alem-dos-livros-da-educacao-de.html

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O saber além dos livros da Educação de SP

Em 10 dezembro passado, em documento publicado na WEB e assinado por 45 editores, a LIBRE divulgou esta carta-denúncia: a compra de 8 milhões de livros pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP), via Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), para o projeto Apoio ao Saber, que desde seu início usou quase R$100 milhões. Tudo isso sem licitações públicas ou mesmo divulgação ampla no mercado dos editores.

A LIBRE é a Liga Brasileira de Editoras, uma rede de editoras independentes com dez mil títulos em catálogo que, entre outros aspectos, tem por missão preservar a bibliodiversidade no mercado editorial brasileiro. A carta-denúncia foi encaminhada diretamente ao secretário de Educação, Paulo Renato, e ao presidente da FDE, Fábio Bonini, questionando ainda os métodos de escolha dos títulos e suas quantidades e solicitando uma reunião para tratar do assunto.

Em 23 de dezembro, o NaMariaNews recebeu essa informação por e-mail do Marco Aurélio Melo. No mesmo dia, Luis Nassif publicou o texto.

O pedido de esclarecimentos da LIBRE é um tanto tardio, já que os Srs. Paulo Renato e Fábio Bonini estão deixando seus cargos devido mudança de governo. Porém, as colocações são justas. Por isso, o NaMariaNews foi atrás de mais informações sobre o projeto Apoio ao Saber, que doa kits com três livros para alunos e professores da rede pública de ensino.

Não foi uma caçada fácil. Há grande diferença entre o que a assessoria de imprensa da SEE-SP publica em seus releases e o que ocorre nos bastidores, nas colunas do Diário Oficial de SP. Desde o dia 23 estamos percorrendo títulos de obras, números de processos, combinações de inúmeras palavras-chave, sites de editoras, censos escolares etc., para desmontar a trama e entender o processo.

Agora você poderá ver um pouco além do correto questionamento da LIBRE, e do que se trata o inovador projeto de incentivo à leitura da Secretaria de Educação (DO de SP - 25/novembro/2008), intitulado Apoio ao Saber, e seus 22 milhões de livros, ao custo de quase R$100 milhões - ou mais.



(clique nas imagens para ampliá-las)

Parte das obras citadas pela LIBRE está na imagem acima. Elas foram compradas graças ao pregão presencial 15/0837/08/05, lançado em 27/junho/2008, cujo edital pode ser lido aqui. Foram as obras de domínio público da lista que entraram nessa licitação, a única realizada desde o início do Apoio ao Saber, em 2008. As duas empresas vencedoras:
  • Edições Escala Educacional Ltda, com 7 dos 8 itens, por R$2.423.456,81
  • Global Editora e Distribuidora Ltda, por R$224.992,32
  • Total: R$2.648.449,13 (ver detalhes na tabela ao final)
Todas as outras compras de livros foram feitas por inexigibilidade de licitação, já que são obras exclusivas, o que faz com que seja "permitida" tal transação diretamente com as empresa detentoras dos títulos.

O interessante é que, pelo Diário Oficial, não se sabe o motivo das compras naquelas quantidades. Podemos supor que tivesse sido pelo número de alunos matriculados em cada uma das séries. Mas, se dermos uma olhada no Censo Escolar, os dados não batem em qualquer ano dessas compras. Talvez a SEE-SP tenha usado outros critérios, mas quais?


Imagem - fonte

Alguns desses livros foram motivos de controversas e reclamações por "inadequação às séries e idades", por conter "linguagem chula, citações sexuais explícitas" e por aí vai. Talvez os mais famosos dessa leva tenham sido o Memórias Inventadas, de Manoel de Barros (que depois do furdunço a SEE-SP disse ter "mandado recolher", só não explicando o método nem o que fizeram com os exemplares pagos com R$2.315.440,00, já que os livros estavam nas casas dos estudantes), e Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século - especificamente o texto de Inácio de Loyola Brandão: "Obscenidades para uma dona-de-casa" (confira aqui). Mas também ocorreu reclamação junto à Justiça, "por, em tese, passagem pornográfica" na obra Capitães de Areia, de Jorge Amado, tendo depois seu "arquivamento homologado".

Sobre os critérios de escolha das obras, a Secretaria de Educação explica:
A seleção dos títulos é realizada por uma equipe técnica da Cenp (Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas), da Secretaria de Estado da Educação, baseada em critérios como o desenvolvimento do autoconhecimento, do senso estético, da sensibilidade social, da responsabilidade para com a democracia e do compromisso para com o patrimônio histórico, cultural e ambiental. Também são levadas em consideração a relevância da obra e a qualidade da edição. Os títulos devem dar suporte aos conteúdos da matriz curricular, com objetivo de elevar a qualidade do ensino público, bem como contribuir para a ampliação da cultura literária geral.
No Diário Oficial encontramos, em 10/agosto/2010, a contratação de um profissional para serviços especializados para Avaliação e seleção de Obras Literárias para comporem Kits do Projeto Apoio ao Saber - destinado a alunos e professores, pela quantia de R$6.650,00 (contrato 15/00847/10/04).

O que esqueceram de comentar nos episódios, foi o fato de o incrível educador e secretário estadual de Educação, Sr. Paulo Renato Costa Souza, ser unha e carne com a Editora Objetiva, pertencente ao Grupo Santillana. Ele também faz parte do Conselho Consultivo da Fundação Santillana no Brasil. A Editora Objetiva recebeu R$13.846.799,57 pelos 2.067.755 exemplares fornecidos à SEE-SP para o Apoio ao Saber. Também esqueceram de pensar em loteamento editorial em nome de inovador incentivo à leitura. Isso seria apenas um começo razoável de conversas "pedagógicas", mas também reforça o "espanto" expresso pela LIBRE.

Professores não ficaram de fora. Para eles criaram, em 2010, o projeto Leituras do Professor, para validar a entrega dos kits de livros aos docentes.
  • Pela primeira vez, 243 mil professores da rede estadual também ganharão livros para levar para casa. São 729 mil exemplares, que compreendem um investimento de R$ 3,8 milhões dentro projeto “Leituras do Professor”. Assim como os estudantes, os docentes receberão um kit contendo três títulos, sendo um de poesia, um de teatro e um de narrativa. “Dessa forma, nossos professores terão acesso a obras relevantes, necessárias ao aprimoramento pessoal e ao exercício de suas funções”, observa o secretário. (Fonte SEE-SP)
O Tribunal de Contas de São Paulo, ainda de acordo com o Diário Oficial, julgou perfeitamente legais todas as negociações assinadas pelo Sr. Fábio Bonini Simões de Lima (presidente da FDE), Sra. Cláudia Rosenberg Aratangy (diretora de Projetos Especiais) e o Sr. Inácio Antônio Ovigli (supervisor da Diretoria de Projetos Especiais).

Na tabela abaixo estão as obras e aquisições do Apoio ao Saber e Leituras do Professor, assim como os links para os negócios encontrados no Diário Oficial. Mas não se pode garantir que o quadro esteja completo, já que o labirinto é medonho.


TÍTULOEDITORA QUANTSÉRIES VALORCONTRATOLINK
Juca Pirama e os Timbiras - Gonçalves DiasEdições Escala Educacional S/A469.803 5a. EF2.423456,8115/0837/08/052/ago/2008
Papéis Avulsos - Machado de AssisEdições Escala Educacional S/A463.088 6a. EF --------|--------15/0837/08/052/ago/2008
Poemas de Álvaro de Campos - Fernando PessoaEdições Escala Educacional S/A463.698 7a. EF--------|--------15/0837/08/052/ago/2008
Várias Histórias - Machado de AssisEdições Escala Educacional S/A481.675 8a. EF--------|-------15/0837/08/052/ago/2008
Dom Casmurro - Machado de AssisEdições Escala Educacional S/A591.678 1a. EM--------|-------15/0837/08/052/ago/2008
Quincas Borba - Machado de AssisEdições Escala Educacional S/A470.497 2a. EM
--------|-------15/0837/08/052/ago/2008
Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de AssisEdições Escala Educacional S/A 386.2103a. EM--------|-------15/0837/08/05 2/ago/2008
O Navio Negreiro - Castro AlvesGlobal Editora e Distrib. Ltda481.675 8a. EF224.992,3215/0837/08/052/ago/2008
Olhai os Lírios do Campo - Érico VeríssimoEditora Schwarcz Ltda481.675 8a. EF4.207.554,8515/1087/08/043/set/2008
Capitães de Areia - Jorge AmadoEditora Schwarcz Ltda463.6987a. EF
--------|-------15/1087/08/043/set/2008
Comédias Para se Ler na Escola - L.F.VeríssimoEditora Objetiva469.803 5a. EF4.935.636,7415/1091/08/043/set/2008
As Cem Melhores Crônicas BrasileirasEditora Objetiva386.2103a. EM --------|-------15/1091/08/043/set/2008
A Mulher do Vizinho - Fernando SabinoDistribuidora Record de Serviços de Imprensa S/A463.698 7a. EF3.591.310,2415/1093/08/045/set/2008
Bagagem - Adélia PradoDistribuidora Record de Serviços de Imprensa S/A386.201 3a. EM--------|-------15/1093/08/045/set/2008
Primeiras Estórias - Guimarães RosaEditora Nova Fronteira470.4972a. EM
5.504.814,9015/1090/08/045/set/2008
Estrela da Vida Inteira - Manoel BandeiraEditora Nova Fronteira470.497 2a. EM--------|-------15/1090/08/045/set/2008
Memórias Inventadas - Manoel de BarrosEditora Planeta do Brasil463.088 6a. EF2.315.440,0015/1092/08/045/set/2008
80 Anos de Poesia - Mário QuintanaEditora Globo S/A591.7481a. EM
6.456.435,3415/1088/08/046/set/2008
Reinações de Narizinho V1 - Monteiro LobatoEditora Globo S/A469.803 5a. EF--------|-------15/1088/08/046/set/2008
Reinações de Narizinho V2 - Monteiro LobatoEditora Globo S/A469.8035a. EF --------|-------15/1088/08/046/set/2008
O Coruja - Aloísio AzevedoGlobal Editora e Distrib. Ltda463.0886a. EF
2.313.124,5615/1089/08/046/set/2008
Laços de Família - Clarice LispectorEditora Rocco Ltda591.7481a. EM
2.130.292,8015/1094/08/046/set/2008
Nova Antologia Poética - Mário QuintanaEditora Globo S/A490.890 6a. EF2.178.378,0015/836/09/0430/dez/2009
Farenheit 451
- Ray Bradbury
Editora Globo S/A24.300 ----???--- -------|-------15/836/09/0430/dez/2009
Melhores Poemas de Cora Coralina - C. CoralinaGlobal Editora e Distrib. Ltda490.890 5a. EF3.239.874,0015/0847/09/0422/jan/2010
Um Estudo em Vermelho - Conan DoyleNewtec Editores Ltda466.590 6a. EF909.850.5015/0850/09/0423/jan/2010
Casa de Bonecas - Henrik IbsenG. Aranyi Livros - ME538.877 3a. EM2.331.323,4015/0849/09/044/fev/2010
O Inspetor Geral - Nicolai V.GogolG. Aranyi Livros - ME538.877 ----???------------|-------15/0849/09/04 4/fev/2010
O Brasil das Placas - José E.Camargo / L.SoaresEditora Original Ltda24.300 Profs287.955,0015/1001/09/04 9/fev/2010
O Quinze - Rachel de QueirozEditora José Olympio Ltda466.590 5a. MF4.265.619,4515/0843/09/0411/fev/2010
Eles Não Usam Black Tie - G. GuarnieriEditora José Olympio Ltda558.707 1a. EM--------|-------15/0843/09/0411/fev/2010
Seleta [qual delas??]Editora José Olympio Ltda24.300 ----???------------|-------15/0843/09/04 11/fev/2010
O Tartufo ou ImpostorEditora Martin Claret Ltda501.4758a. EF
802.360,0015/0842/09/0411/fev/2010
Antologia Poética [qual delas??]Distribuidora Record de Serviços de Imprensa S/A 501.475----???----3.188.029,2515/0839/09/04
11/fev/2010
200 Crônicas Escolhidas - Rubem BragaDistribuidora Record de Serviços de Imprensa S/A24.300
Profs???--------|-------15/0839/09/04 11/fev/2010
Histórias Extraordinárias de Allan Poe - E.A.PoeEdiouro Publicações S/A24.300
Profs388.314,0015/0975/09/0411/fev/2010
Os 13 Melhores Contos da Mitologia da Lit. Universal - org. Flávio M. da CostaEdiouro Publicações S/A24.300 Profs--------|-------15/0975/09/0411/fev/2010
Toda Mafalda - Quino (Joaquim Lavado)Martins Editora Livraria Ltda24.300 Profs841.023,0015/1002/09/0411/fev/2010
Os Passos Perdidos - Alejo CarpentierMartins Editora Livraria Ltda24.300 Profs--------|-------15/1002/09/0411/fev/2010
A Hora da Estrela - Clarice LispectorEditora Rocco Ltda543.4071a. EM
1.603.221,0015/0848/09/0413/fev/2010
Contos Romanos - Alberto MoraviaBerlendis Editores Ltda24.300 Profs433.026,0015/1000/09/0413/fev/2010
O Ermitão da Glória - José de Alencar (em HQ)Noovha América Ed. Distrib. de Livros Ltda466.590
5a. EF2.239.632,0015/0840/09/0420/fev/2010
Antologia Poética - Cecília MeirelesEditora Nova Fronteira S/A510.578 7a. EF11.406.594,3015/0837/09/0426/fev/2010
Antologia Poética - Manoel BandeiraEditora Nova Fronteira S/A621.565 2a. EM--------|-------15/0837/09/0426/fev/2010
O Grande Sertão: Veredas - Guimarães RosaEditora Nova Fronteira S/A645.865 2a. EM--------|-------15/0837/09/0426/fev/2010
O Pagador de Promessas - Dias GomesEditora Bertrand do Brasil Ltda510.578
7a. EF11.897.476,5015/841/09/0426/fev/2010
A Estranha Máquina extraviada - José J.VeigaEditora Bertrand do Brasil Ltda477.175
8a. EF--------|-------15/841/09/0426/fev/2010
Canto Geral - Pablo NerudaEditora Bertrand do Brasil Ltda490.277 3a. EM--------|-------15/841/09/0426/fev/2010
Prometeu e Alceste - Ésquilo e Eurípede (Luiz A.Aguiar)Editora Bertrand do Brasil Ltda490.890
6a. EF--------|-------15/841/09/0426/fev/2010
Ricardo III - William ShakespeareEditora Bertrand do Brasil Ltda24.300 ----???------------|-------15/841/09/04 26/fev/2010
O Santo Inquérito - Dias GomesEditora Bertrand do Brasil Ltda24.300 ----???------------|-------15/841/09/04 26/fev/2010
De Moto pela América do Sul: Diário de Viagem - E. Che GuevaraMilfolhas Produção Editorial Ltda24.300
Profs196.173,9015/1004/09/04 26/fev/2010
Antologia Poética [qual delas??]Editora Schwarcz Ltda 558.707----???----4.480.736,62 15/0851/09/04
27/fev/2010
Poesia Completa de Álvaro de CamposEditora Schwarcz Ltda24.300 ----???------------|-------15/0851/09/04 27/fev/2010
Antes do Baile Verde - Lígia F. TellesEditora Schwarcz Ltda486.278 7a. EF--------|-------15/0851/09/0427/fev/2010
Antologia Poética - Patativa do AssaréFundação Demócrito Rocha24.300 Profs432.054,0015/1oo3/09/049/mar/2010
A Casa de Bernarda Alba - F. Garcia LorcaImprensa Oficial do Estado - IMESP24.300
Profs91.125,0015/00838/09/04 24/mar/2010
Morte e Vida Severina e outros poemas - J.Cabral de M. NetoEditora Objetiva Ltda645.865
2a. EM8.777.782,8315/00838/09/0425/mar/2010
Os Cem Melhores Contos Bras. do Séc. - Ítalo MoriconiEditora Objetiva Ltda514.577
3a. EM--------|-------15/00838/09/0425/mar/2010
Os Cem Melhores Poemas Bras. do SéculoEditora Objetiva Ltda24.300 ----???------------|-------15/00838/09/0425/mar/2010
O Ermitão da Glória - José de Alencar (em HQ)Noovha América Ed. Distrib. de Livros Ltda26.000
----???----135.200,0015/00802/10/04
28/ago/2010
Melhores Poemas de Cora Coralina - C.CoralinaGlobal Editora e Distrib. Ltda26.000
----???----171.600,0015/00801/10/04
1/set/2010
Morte e Vida Severina e outros poemas - J.Cabral de M. NetoEditora Objetiva Ltda27.000
----???----133.380,0015/00804/10/04
2/set/2010
O Quinze - Rachel de QueirozEditora José Olympio Ltda26.000 ----???----124.800,0015/0018/10/04 2/set/2010
Antologia Poética - Manoel BandeiraEditora Nova Fronteira S/A27.00 ----???----356.400,0015/00803/10/04 9/set/2010
O Grande Sertão: Veredas - Guimarães RosaEditora Nova Fronteira S/A27.00
----???------------|-------15/00803/10/04 9/set/2010

Observações
- Gastos em 2008: R$34.103.058,56
- Gastos em 2009: R$2.178.378,00
- Gastos em 2010: R$58.057.426,35
- Total 2008-2010: R$94.338.862,91
- Total de livros adquiridos: 22.505.474

- Estas foram as informações encontradas a muito custo no Diário Oficial. Não há garantias que estejam completas, seguramente há mais dados não divulgados ou, se não impossíveis, difíceis de serem achados, porque o nome do projeto varia ou não consta (a compra é lançada com um nome X de projeto e é paga com nome Y), os livros divulgados aparecem com títulos diferentes, errados ou incompletos etc..

- Também apresentado como Projeto Básico Apoio ao Saber, poucas vezes no Diário Oficial são citados claramente os destinos das compras (turmas dos alunos ou para professores), daí as interrogações na tabela acima. Nas obras "Antologia Poética", sem complementos, não se sabe se são de Carlos Drummond de Andrade ou Vinícios de Moraes, cujos nomes foram anunciados nas matérias do DO reproduzidas nas imagens acima e em outras divulgadas pela SEE-SP - portanto, não há no quadro indicação das séries às quais se destinariam.

- Quando mais de uma compra pertence ao mesmo número de contrato, o valor total pago aparece apenas uma vez, na linha do primeiro título/obra do pacote, depois somente ---|---.

- Deveria, mas no DO não há menção dos valores unitários dos livros adquiridos em nenhuma compra, bem como quanto custou cada lote, quando da aquisição de mais de um título da mesma empresa.

- Não foram contabilizados no texto, por exemplo, os gastos com empresa de logística, a Tzar SL Transporte e Armazenagem Ltda, para armazenagem, montagem e entrega de kits dos livros. Também não entraram os pagamentos para impressão e acabamento de "folders" do Apoio ao Saber, a cargo da Fundação José de Paiva Neto.

- As quantidades de livros variam muito, mesmo quando se referem à idênticas séries e anos. Portanto a pergunta sobre os motivos das quantidades escolhidas pela SEE-SP e FDE permanece.

Presidente eleita convidou 11 ex-companheiras de cela para a posse





Jornal do Brasil, 29/12 às 22h26

Presidente eleita convidou 11 ex-companheiras de cela para a posse

Evandro Éboli
 
BRASÍLIA - Um grupo de 11 antigas militantes de esquerda e ex-companheiras de cela de Dilma Rousseff na ditadura militar está entre os convidados especiais da presidente eleita e acompanhará sua posse no sábado, no Palácio do Planalto. Juntas com Dilma, elas estiveram presas na década de 70 na Torre das Donzelas, como era chamado o conjunto de celas femininas no alto do Presídio Tiradentes, em São Paulo. Para o local eram levados os presos políticos, depois de passarem por órgãos da repressão como o Dops e o DOI-Codi.
Entre as convidadas, que também estarão no coquetel no Itamaraty, está a economista Maria Lúcia Urban, que, na época, chegou grávida ao presídio e recebeu todos os cuidados de Dilma.
- A Maria Lúcia e a Dilma tinham uma relação muito forte, que se manteve - disse a socióloga Lenira Machado, outra integrante do grupo e responsável pelo convite da posse às outras colegas do Tiradentes.
Maria Lúcia hoje é diretora do Centro de Formação Estatística do Paraná. Lenira trabalha com projetos e programas do Ministério do Turismo.
Dilma ficou presa, foi condenada e passou três anos na cadeia. Antes de seguir para o Tiradentes, foi torturada durante 22 dias seguidos. A chegada da companheira à Presidência da República é motivo de orgulho para as colegas de militância política, ainda que atuassem em grupos de esquerda distintos e com pensamentos diferentes sobre como enfrentar o regime militar.
- Éramos de diferentes organizações, mas ocupávamos o mesmo espaço. Se não fosse a cadeia, jamais teríamos nos encontrado. Essa coisa nos unia - disse Rita Sipahi, que atuou na Ação Popular.
Dilma era da Var-Palmares. Rita é advogada e integra a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.
Os grupos de esquerda divergiam em especial sobre a adesão ou não à luta armada. Lenira e Dilma tinham uma posição idêntica e defendiam o confronto com os militares.
- Eu e ela concordávamos com a luta armada, embasada na formação de quadros. Não para ser uma simples aventura - disse Lenira, que foi torturada no DOI-Codi e, em 2008, reconheceu seu torturador e o denunciou publicamente.
Dilma gostava de "Chico mineiro" e de crochêEla comemora a eleição de Dilma.
- Não tenho postura feminista, mas é uma vitória ter uma mulher presidente. E nem em sonho imaginava que alguém da luta armada chegaria um dia a esse posto - disse Lenira.
A jornalista Rose Nogueira, que também estará na festa da posse, ficou alguns meses no presídio e tem muitas lembranças de Dilma. Ela se recorda do apego da petista aos livros. De todos os tipos, de teorias da economia aos clássicos da literatura universal. Nos trabalhos manuais na cela, Dilma tinha predileção, segundo Rose, pelo crochê. Fazia bordados em pano.
- Naquela época, Dilma já tinha uma presença forte. Era naturalmente uma líder e muito solidária. Quando a vi num cargo importante no governo Lula, não tinha dúvida que chegaria a presidente do Brasil - disse Rose, que lembrou ainda do gosto de Dilma pela música.
- Ela gostava de cantar "Chico mineiro" - contou Rose, citando uma música caipira que fez sucesso com a dupla Tonico e Tinoco.
As outras colegas de cela que estarão na posse são: a arquiteta Maristela Scofield; a uruguaia Maria Cristina de Castro, que trabalha no Ministério das Minas e Energia; a psicóloga Lúcia Maria Salvia Coelho; a arquiteta Ivone Macedo; Francisca Eugênia Soares e as irmãs Iara de Seixas Benichio e Ieda de Seixas, de uma família que atuou na oposição aos militares.
.....

Escolta de Dilma, no dia da posse, terá participação de agentes mulheres da PRF

29/12 às 17h23 Isabel Braga
 Polícia Rodoviária Federal - [ PRF ] durante ensaio do percuso que farão no dia da posse, que escoltara a presidente eleita Dilma Rousseff da Granja do Torto  até à catedral - Foto: Ailton de Freitas

BRASÍLIA - Um grupo de 12 motociclistas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no início da tarde desta quarta-feira no estacionamento da entrada da Granja do Torto, onde está residindo a presidente eleita Dilma Rousseff. Eles foram ao local para fazer um ensaio do trajeto que farão no dia da posse, escoltando Dilma da Granja até a Catedral de Brasília. Uma curiosidade chama a atenção: entre os 12, seis são mulheres e terão papel de destaque durante parte do trajeto.

O escândalo Alston

Como tenho bem documentado, o governo mais corrupto foi o de FHC. O que se meteu a mão em dinheiro público nos processos de privatarias deixa qualquer montante de mensalão no chinelo. 

Não esquecendo que os chamados "mensalões" se iniciaram no Governo FHC. A reeleição não saiu barato aos cofres públicos, nem diversas aprovações de leis que serviram para ferrar os direitos dos trabalhadores e os interesses nacionais..

Muita gente confunde, com a grande ajuda do PIG, um aumento da divulgação dos casos com aumento de casos corrupção. A verdade é que o PIG sempre ficou caladinho para todas as patifarias cometidas pelos governos tucanos. Sem falar da vergonhosa existência do "engavetador geral da república" de FHC, que travou inúmeros processos.

Durante o Governo atual, a PF trabalhou e prendeu como nunca; o Procurador Geral sempre foi aqulee que a sua classe apresentou ao Presidente como o primeiro da lista e não um aliado pessoal de Lula; autoridades públicas envolvidas em casos de corrupção foram presas,...

Quem engoliu as mentiras do PIG, que trate de bem informar-se.





http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/


quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Escândalo PSDB Alston: Conselheiro do TCE-SP recebeu R$ 1 milhão em conta na Suíça

Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e chefe da Casa Civil do governador Mario Covas entre 1995 e 1997, recebeu em uma conta na Suíça três depósitos feitos pelo empresário Sabino Indelicato que somam US$ 605.098, segundo documentos obtidos pela Folha.

O valor equivale hoje a pouco mais de R$ 1 milhão.

A suspeita do Ministério Público é que os valores depositados são parte da propina supostamente paga pela Alstom para obter contratos com o governo de São Paulo a partir de 1997.

Há também a hipótese de que Marinho recebeu o valor para aprovar no Tribunal de Contas os contratos da Alstom com empresas como o Metrô e a Eletropaulo. Indelicato controla uma empresa, chamada Acqualux, que recebeu recursos da Alstom sem que conseguisse comprovar que foi prestado algum serviço de consultoria -a justificativa oficial para o pagamento.

Ontem a Folha revelou que a Justiça determinou a quebra do sigilo bancário e fiscal de Marinho por conta da suspeita de enriquecimento ilícito.Também foi quebrado o sigilo do engenheiro Jorge Fagali Neto, irmão do presidente do Metrô.

A juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi diz na decisão que 11 investigados e a Acqualux não conseguiram comprovar com documentos os bens que acumularam.

Tudo na Suíça

Numa investigação sobre pagamentos de propina pela Alstom, iniciada na Suíça, os promotores daquele país descobriram que Marinho controla a "offshore" Higgins Finance, empresa em que é mais difícil descobrir quem é o seu verdadeiro dono. Foi na conta da Higgins, aberta no Crédit Lyonnais, que Indelicato fez três depósitos: de US$ 326.130,00 em 19 de junho de 1998, de US$ 36.000,00 em 21 de maio de 2003 e US$ 242.968,00 em 24 de fevereiro de 2005.

Levantamentos feitos por promotores suíços apontam que Marinho movimentou cerca de US$ 3 milhões (R$ 5 milhões) naquele país.

Em junho e agosto do ano passado que a Suíça congelou as contas de Marinho e de Fagali Neto por suspeitar que se trata de dinheiro público desviado. Só de curiosidade: A Folha não procurou José Serra para uma entrevista...

Até cunhado do tucano mete a mão no cofre público..É a família unida


Paulo Ribeiro, cunhado do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), está sob investigação do Ministério Público do Estado sob acusação de intermediar o pagamento de propinas a políticos e funcionários públicos que contratavam empresas de merenda.

Ontem a Polícia Civil fez uma operação de busca e apreensão na casa de Ribeiro, irmão de Lu Alckmin, a esposa de Geraldo Alckmin. Ele é alvo de investigação que apura crimes de lavagem de dinheiro, superfaturamento e direcionamento de licitação.

A investigação é conduzida pelo promotor Arthur Lemos Jr., do Gedec (Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro).A  acusação se baseia em escutas telefônicas e documentos apreendidos, aos quais a Folha não teve acesso.

A operação foi feita à procura de documentos que mostrariam detalhes sobre o caminho das comissões pagas por empresas para obter contratos públicos.Há dois anos a Promotoria apura a existência de uma suposta máfia da merenda, que agiria como um cartel para subir os preços.

No esquema, o preço da merenda é sempre superfaturado, funcionários públicos e políticos recebem propina pelo valor mais alto, e o partido do prefeito recebe contribuição não declarada.

A apuração começou em São Paulo, mas hoje se estende a Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Maranhão. Há prefeituras ligadas a PSDB, PDT e PPS.

O nome de Ribeiro aparece na lista como suspeito de ter atuado como lobista em dois contratos com indícios de superfaturamento, com as prefeituras de Pindamonhangaba e de Taubaté.

Em Pindamonhangaba, cidade natal de Alckmin e de Lu, a prefeitura contratou a empresa Verdurama em 2005 para fornecer merendas para cerca de 30 mil alunos. O pagamento anual é de cerca de R$ 5 milhões.

Em Taubaté, há a suspeita de que Ribeiro teria ajudado a Sistal a elevar o valor do contrato de R$ 10,8 milhões para R$ 25 milhões num período de três anos, sem um grande aumento de alunos.